defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

fonoaudiologia
dr. X / fonoaudiólogo

Ação do cigarro na voz

 

A fumaça e o alcatrão dos cigarros, charutos e cachimbos ressecam o trato vocal, causando irritação da mucosa do nariz, boca e laringe. Numa reação de defesa do organismo, é formado um depósito de secreção ao longo das pregas vocais - o pigarro. A tosse e o pigarro são conseqüências da irritação da mucosa e favorecem diversas alterações como edemas, pólipos, hiperplasias, displasias e câncer de laringe, cuja incidência é 40 vezes maior em relação aos não-fumantes. A tosse também provoca um intenso atrito nas pregas vocais, podendo lesioná-la.


A fumaça quente também agride todo o sistema respiratório, ressecando o aparelho fonador.

 

O depósito da nicotina nas pregas vocais provoca seu inchaço - a longo prazo, a voz engrossa e perde a potência. O processo de inchaço das cordas vocais também ocorre na menopausa. Elas ficam mais pesadas e vibram menos - o que faz com que a voz fique mais grave.


Os exercícios indicados para melhorar a voz do fumante são os mesmos indicados indicados para mulheres na menopausa: são exercícios para ativar a circulação sanguínea para facilitar as trocas celulares e reduzir a quantidade de líquidos que causam o inchaço.

 

Exercícios para "calibrar a voz", através da repetição de sons facilitadores, fazem com que a voz seja deslocada - do fundo da garganta para a ponta dos lábios - menos gutural e mais leve. Ao melhorar a circulação sanguínea, os exercícios favorecem, para o fumante, a eliminação das toxinas, reduzindo a formação do pigarro.

 

Prevenção de rouquidão e exercícios

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.