defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

fonoaudiologia
dr. X / fonoaudiólogo

Alerta: rouquidão

 

Uma rouquidão que persiste por mais de 15 dias, sem modificação e sem melhora, precisa ser investigada imediatamente. O sintoma pode indicar tanto uma simples inflamação como uma lesão cancerígena na laringe. E, quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores as chances de sucesso no tratamento.


Além da rouquidão, outros motivos para alerta são: tosse, sensação de garganta seca, dor ou dificuldade ao falar.

 

Exames como a laringoscopia e a nasofibrolaringoscopia permitem verificar alterações funcionais na laringe ou nas pregas vocais, que possam estar comprometendo seu bom funcionamento. Estes exames permitem acompanhar em detalhes as estruturas que participam da produção da voz.


Os sintomas podem estar relacionados com diversas causas, além do tabagismo: refluxo gastroesofágico, desordem endocrinológica, alergia inflamação ocasionada por uma gripe. As complicações podem ter como origem o mau uso da voz, e uma reeducação com fonoaudiólogo pode ser indicada. O fonoaudiólogo ensina como produzir os sons e a fala de forma adequada.

 

Prevenção

 

O processo natural de envelhecimento já produz, por si só, modificações importantes no tom de cada indivíduo, mulheres costumam falar mais grave com a passagem dos anos, enquanto nos homens tornam-se paulatinamente mais agudos. Porém, é possível adiar essas alterações, garantindo uma voz limpa, clara, equilibrada e agradável por mais tempo. O segredo é investir em pequenas mudanças de hábitos.

 

evite pegarrear: Pigarrear ou "raspar a garganta" oferece a sensação de que se elimina um corpo estranho na laringe, aliviando o sintoma de pressão na garganta, com eventual melhora da voz. Tal gesto, porém, é uma agressão para as pregas vocais, piorando a condição da laringe.

 

use bem a voz: Quando falamos ou gritamos demais, a laringe se ressente. Se a agressão persiste, pode aparecer a rouquidão, consequência de inflamações. O problema pode evoluir, ainda, para a formação de nódulos. Fale num tom moderado, respirando enquanto conversa. Em ambientes ruidosos, numa casa noturna, por exemplo, afaste-se das caixas de som e fale olhando para a outra pessoa, possibilitando, assim, que ela leia seus lábios. Evite gritar: pode ser o suficiente para provocar uma lesão nas pregas vocais.

 

Evite também falar sussurrado ou cochichado, esforço maior que necessário para a produção natural da voz pois para falar assim é necessário bloquear a vibração livre das pregas vocais e o som é produzido apenas por fricção do ar.

 

Fique em silêncio por 15 a 30 minutos após falar muito. As cordas vocais são músculos e também sofrem fadiga.

 

hidratação: Tenha sempre a mão uma garrafa com água mineral, que deve ser ingerida em pequenos goles pelo menos a cada hora. Isso ajuda a manter a hidratação, que evita o atrito entre as pregas vocais e ajuda a diluir as secreções, evitando o pigarro. Beba em média 2 litros de água por dia (temperatura ambiente).

 

Um recipiente com água, especialmente em com ar-condicionado ajuda a umidificar o ambiente, o que faz bem tanto para a voz quanto para o aparelho respiratório. Não se exponha ao ar condicionado mais que o necessário. Se isso não for possível, aumente a ingestão de água.

 

 

alimentação

 

evite:

  • alimentos muito condimentados e gordurosos (lentificam a digestão e dificultam a movimentação livre do músculo diafragma, essencial para a respiração)
  • bebidas ricas em cafeína
  • refrigerantes e bebidas gasosas (favorecem a flatulência, prejudicando o controle da voz)
  • leite, derivados e chocolate (aumentam a secreção de muco do trato vocal, prejudicando a ressonância, e induzem à produção de pigarro)

 

liberados:

  • maçã (efeito adstringente, pois ajuda a limpar as cavidades de ressonância, e por ser uma fruta dura, deixa a articulação mais solta)
  • alimentos leves, verduras e frutas bem mastigadas (relaxam a musculatura da mandíbula, da língua e da faringe, melhorando a dicção e dando sensação de leveza ao corpo)
  • Sucos cítricos (se não tiver problemas de estômago - auxiliam a absorção do excesso de secreção)

 

evite a automedicação

Não use sprays, balas e pastilhas com efeito anestésico

Embora aliviem os sintomas, são paleativos e, a longo prazo, podem agravar o quadro. Com a diminuição da sensibilidade local, sem perceber forçamos ainda mais a voz. A dor, por outro lado, indica que algo está errado e nos faz mais prudentes.

 

durma bem

Uma noite maldormida pode ocasionar uma rouquidão discreta, a voz se torna mais fraca durante todo o dia.

 

reduza o consumo de álcool

As bebidas, especialmente as destiladas, irritam a voz. Além disso, provocam uma leve sensação de anestesia na faringe e, com a redução da sensibilidade, fica muito mais fácil abusar, falando alto, por exemplo.

O consumo excessivo de bebidas destiladas, assim como o tabagismo, está fortemente ligado ao câncer de laringe e pulmão. O álcool também tem uma ação de imunodepressão, ou seja, redução nas respostas de defesa do organismo.

A associação de álcool com tabagismo aumenta a probabilidade do risco de câncer.

 

evite o choque térmico

A mudança brusca de temperatura que pode comprometer a voz. Isso significa tomar um copo de refrigerante - ou cerveja - estupidamente gelado num dia muito quente ou logo depois de exercícios físicos, quando o corpo ainda está aquecido.

 

 

EXERCÍCIOS VOCAIS

(Faça no carro, no chuveiro, quando estiver sozinho/a)

 

Para tonificar as cordas vocais

Vibrar a língua: Emita o som TRRRRRRRRRRRRRRR ou BRRRRRRRRRRRRRRRRRR por cerca de 2 minutos.

 

Para melhorar a potência da voz

Vibrar os lábios: Repita por 2 minutos o som MINIMINIMINIMINIMINI

Bocejar

Protusão dos lábios (fazer bico como se fosse dar um beijo).

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.