defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

tabagismoXcrianças
pais fumantes - como agir com os filhos

Um dos maiores dilemas do fumante é com relação aos seus filhos, como orientá-los na questão de fumar.

 

O tabagismo é uma doença juvenil. A maioria dos fumantes iniciou o hábito na pré-adolescência ou adolescência.

 

Ciente dos riscos que correm ao fumar, a maioria não quer que os filhos sigam o mesmo caminho. Como abordar este assunto? Como lidar com o dilema de proibir crianças e adolescentes de fazer algo que nós mesmos fazemos, na maioria das vezes em casa e na presença deles, muitas vezes ignorando seus protestos e pedidos para deixarmos de fumar?

 

Pela lei de Serra, a partir de agosto isto acontecerá com uma frequência ainda maior. Não adianta "tapar o sol com a peneira": muitos fumantes continuarão a fumar apesar da lei. E agora, mais do que nunca, dentro de casa.

 

A probabilidade do seu filho fumar é muito maior do que o filho de um nãofumante. A Philip Morris EUA (Youth Smoking Prevention - 2007) fez um levantamento sobre jovens com idades entre 11 e 17 anos que disseram ter fumado pelo menos 1 cigarro em 30 dias - e o resultado: 16,1% disseram que sim. Destes, 11.6% eram filhos de pais fumantes, contra 4,7% de pais nãofumantes. Ou seja, crianças que têm pais fumantes tem um risco maior de se tornarem fumantes.

 

Saiba que você não está sozinho. E não se sinta hipócrita ao impedi-los de fumar. Eles são seus filhos, e você é quem dita as regras. Seja firme: não deixe que a culpa por fumar afete a sua autoridade. Está comprovado que quando os pais "abrem o jogo", as crianças têm maiores chances de não serem tabagistas no futuro.

 

 

O que você pode fazer:

 

Fale claramente porque eles não devem fumar, numa linguagem que eles entendam (não adianta falar dos perigos, melhor focar no cheiro, no hálito, nos dentes amarelados, na dificuldade que terão em arranjar namoradas/os).

 

Fale das consequências e seja claro que fumar é um hábito não aceito socialmente.

 

Conte a sua história: porque começou a fumar, como é difícil para você abandonar o hábito, como isso tem afetado a sua saúde.

 

Muitas crianças e adolescentes pegaram seu primeiro cigarro de um maço dos pais. Não deixe-os jogados pela casa. Não facilite o acesso das crianças a eles.

 

Se você acha que o melhor caminho é proibir, faça isso. Com a autoridade de quem sabe o quanto fumar pode prejudicá-los no futuro. Proiba com a mesma autoridade que você usa para proibir que comam doces antes das refeições (mesmo que você faça isso de vez em quando). Alguns assuntos entre pais e filhos não seguem regras democráticas.

 

Se você acha que o melhor caminho é proibir, faça isso. Com a autoridade de quem sabe o quanto fumar pode prejudicá-los no futuro. Proiba com a mesma autoridade que você usa para proibir que comam doces antes das refeições (mesmo que você faça isso de vez em quando).

Alguns assuntos entre pais e filhos não seguem regras democráticas.

 

Muitos pais fumantes quando percebem que os filhos fumam abrem mão de lutar contra isso, encarando como uma coisa normal a ser feita em família. Não encare com naturalidade algo que você sabe ser muito prejudicial à saúde. Evite fumar com ele, oferecer cigarros, etc.

 

E se você planeja parar, lembre-se que adolescentes fumantes tendem a seguir esse exemplo dos pais.

 

 

Conselho para uma internauta

 

Recebemos um email de uma adolescente fumante com o seguinte conteúdo:

 

"Oi, meu nome é XXXX, e eu tenho 14 anos. Talvez vocês falem que não era pra eu estar nesse site como estou acostumada a ver mas, eu sinto grande atração por cigarro, e eu fumo as vezes. Eu ainda sinto uma grande dúvida entre fumar de vez ou não. Quando eu fumo, me sinto bem, sinto prazer e etc. E quando não fumo, fico nervosa ou quieta demais. Enfim, estou pedindo um conselho, a ajuda de vocês é muito importante pra mim.

Abraços, adorei o site."

 

Espero que nossa resposta tenha ajudado, pois reflete o que pensamos a respeito:

 

Olá XXXX, tudo bem?

Em primeiro lugar gostaríamos de agradecer o contato. Realmente, este é o grande perigo do cigarro. Seus efeitos são de todo tipo: físico (dependência), emocional, metabólico, muitos, enfim.

Só podemos dar um conselho a você: aproveite que você é novinha e fuja dele. Não aconselhamos ninguém a fumar e estimulamos sempre quem quer parar.

A adolescência é uma fase difícil, carregada de sentimentos conflitantes, o que facilita a entrada de qualquer vício. Parece que 90% dos fumantes se torna dependente antes dos 18 anos.

Os primeiros cigarros são ruins, causam tosse, tonteira e enjôo. Quando a gente "acostuma" com isso, fase que é chamada de tolerância, o organismo começa a se "adaptar", e a partir daí se instala a dependência. A nicotina circula pelo corpo, inclusive até o cérebro, que acaba liberando os "neurotransmissores" que são responsáveis por essa sensação de bem-estar que você fala.

Veja bem, tudo isso começa na sua idade. Como você é novinha, apesar do sofrimento que poderá sentir se resolver parar, será MUITO menos sofrido do que parar mais tarde. Procure buscar outras formas de ficar bem, fazer coisas que você gosta, buscar interesses como livros, cinema, esportes - estes muito bons para se sentir feliz.

Hoje em dia o fumante é estigmatizado, humilhado, sofre mil preconceitos, as pessoas falam as maiores barbaridades sem que isso seja sequer considerado uma ofensa.

Vale à pena?

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.