defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

notícias&artigos 2013
Carta aberta de uma fumante aos profissionais de saúde

16/10/2013

 

Venho hoje aqui para relatar uma experiência própria, e mostrar como a Medicina em geral (salvo alguns valiosos profissionais, entre os quais coloco os que me atenderam neste episódio) tem agido mal em relação aos fumantes.

 

Tenho 52 anos, experimentei meu primeiro cigarro aos 12, mas usuária mesmo posso dizer que sou desde os 15/16 anos. Por estes quase 30 anos de tabagismo achei que seria bom consultar um pneumologista. Tenho uma tossinha persistente desde quando comecei, e achei que estava mais do que na hora de ver como estava o estado dos meus pobres pulmões.

 

Assim que entrei no consultório já disparei minha pergunta padrão:
"O senhor atende somente ex-fumantes, ou atende fumantes também?"
Sorte. O doutor tinha bom humor e era um excelente profissional, pois deixou claro que não discriminava nenhum paciente.

 

Fui encaminhada para fazer vários exames de rotina, desde os de função pulmonar até laringoscopia (exame de nariz, laringe e faringe). Fiz os dois: tanto aquele onde introduzem o aparelho na garganta quanto aquele onde o aparelho é introduzido pelo nariz (nasolaringoscopia).

 

A surpresa foi que a minha tosse era resultado de refluxo, e não algo no pulmão (nem sabia que isso existia). Ok, cigarro é uma das causas, mas a alimentação tem um papel importante. Se não consegue parar, evite alguns alimentos. Isso ajuda a melhorar os efeitos.

 

Acabei desencanando após os resultados, mas o pneomologista ficou insistindo que eu deveria procurar um otorrino devido ao resultado da nasolaringoscopia. Não entrou em detalhes mas insistiu bastante.

 

Um ano depois (é, fumante é assim... desleixado...) resolvi seguir sua orientação e marquei com o outro médico. Claro que o espírito de porco aqui disparou a mesma pergunta padrão antes de começar a consulta (aliás, SUPER recomendo...)


Repetiu a nasolaringoscopia e, para a minha surpresa, disse que eu tinha um tumor, congênito, NADA RELACIONADO AO CIGARRO. Ele queria operar e fazer biopsia. Era uma adenoide, que, na infância é ok, mas em adultos não é normal. Mas que, como o exame não mostrava muita diferença em relação áquele realizado há um ano, que chava que não era maligno. Mais: descobriu que eu tive uma sinusite muito forte no passado, problema nos cornetos (que eu nem si direito o que é), desvio de septo, e que eu tinha quebrado o nariz (!!!)

 

Não querendo me alongar muito, fiz a cirurgia e o resultado foi negativo a e as outras coisas arrumadas.

 

Estou contando esse caso aqui porque acho que os médicos TEM QUE MUDAR A ATITUDE em relação aos fumantes. Médico: você já pensou o quanto está afastando os fumantes? Vocês tem que parar de deixar os fumantes pensarem que seus problemas são todos provenientes do fumo. Alguns podem até ser, mas e os que não são? Tem fumante deixando de ir ao médico porque não está preparado para parar de fumar. Porque é essa a mensagem. Você tem dor no dedo do pé? Cigarro. Tem dor de barriga? Cigarro. Tem tosse? Cigarro. Tem rinite? Cigarro. Só que... não fumante também tem isso tudo! E o que está causando isso aos fumantes pode não ser cigarro... ou pode ter outras causas, ALÉM do cigarro, que podem ser evitadas.

 

Ao mesmo tempo, os fumantes têm que ter uma atitude melhor e mais firme. É chegar na caruda, se necessário for. Não tem que deixar de ir ao médico se tem um problema só por medo de ouvir que só vai melhorar se parar de fumar. E se não parar? Vai ficar sem tratamento?

 

Aos médicos que lerem este relato, me desculpem a falta ou mau uso de termos técnicos. É um relato de paciente, e quis deixar o tom como sendo de paciente.

 

Hora de mudar de postura/atitude.

 

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.