defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

notícias&artigos 2015
Cigarros eletrônicos são cerca de 95% menos prejudiciais à saúde do que tabaco.

19/08/2015

 

Finalmente sai um estudo que colocará por terra a grande quantidade de besteiras que tem sido divulgadas no mundo sobre os cigarros eletrônicos. O órgão de Saúde Pública da Inglaterra, através de um press release enviado em 19/08/2005 constatou que, além dos dispositivos serem 95% menos prejudiciais, o assustador é que cada vez mais aumenta o número de pessoas que acha que são tão ou mais prejudiciais que fumar.

Os maiores responsáveis por esta bobagem, que tem prejudicado cada vez mais os fumantes que querem parar, são os que advogam pelas drogas criadas para quem quer parar de fumar, alegando, sem nenhuma evidência científica, que o produto tem substâncias cancerígenas.

Vários médicos tem publicado matérias defendendo o dispositivo como método eficaz para parar pelo fato de ser a coisa mais parecida com o cigarro, tendo boa aceitação entre os fumantes.

Só para lembrar... cigarros eletrônicos foram proibidos no Brasil.

 

 

 

 


a matéria original

 

Cigarros eletrônicos são cerca de 95% menos prejudiciais à saúde do que tabaco. Avaliação é um marco divisório

 

Public Health England - 19 de agosto de 2015

 

Cigarros eletrônicos são 95% menos perigosos que tabaco mas aumenta o número de pessoas que acham que não.

 

Cigarros eletrônicos são cerca de 95% menos prejudiciais à saúde do que tabaco. Avaliação é um marco divisório.

 

As principais conclusões da revisão incluem:

  • A melhor estimativa é uso de cigarros eletrônicos é cerca de 95% MENOS PREJUDICIAL DO QUE FUMAR
  • QUASE A METADE DA POPULAÇÃO (44,8%) não sabe que os cigarros eletrônicos são menos prejudiciais do que fumar
  • NÃO HÁ EVIDÊNCIAS de que os cigarros eletrônicos são uma "porta de entrada para o tabaco" para crianças e não fumantes.

A avaliação, encomendado pelo PHE e liderada pela professora Ann McNeill (King's College) e pelo professor Peter Hajek (Queen Mary University of London), sugere que os cigarros eletrônicos podem estar contribuindo para queda as taxas de tabagismo entre os adultos e jovens. Baixe os artigos publicados:

Ecigarettes: an evidence update - A report commissioned by Public Health England - FINAL

Ecigarettes: a firm foundation for evidence based policy and practice

McNeill-Hajek report authors note on evidence for 95 estimate

 

No entanto, a revisão se preocupa com o fato de que há um número cada vez maior de pessoas que PENSAM QUE OS CIGARROS ELETRÔNICOS SÃO TÃO OU MAIS PREJUDICIAIS DO QUE FUMAR (22,1% em 2015, 8,1% acima do que em 2013: A pesquisa do ASH Smokefree GB) ou não sabe (22,7% em 2015 , pesquisa do ASH Smokefree GB).

 

Apesar desta tendência a evidência considera que os cigarros eletrônicos elevam em uma fração mínima o risco de fumar.

 

Há evidências cada vez maiores que sugerem que algumas das mais altas taxas de sucesso para parar agora são notados entre os fumantes que usam o cigarro eletrônico, além de receber apoio de serviços locais para parar de fumar.

 

O Professor Kevin Fenton, diretor de Saúde e Bem-estar em Saúde Pública Inglaterra disse:

"Fumar ainda é o assassino número 1 na Inglaterra, e a melhor coisa que um fumante pode fazer é parar completamente, agora e para sempre.

Os cigarros eletrônicos não são completamente livre de riscos, mas comparado ao tabagismo, evidências mostram que carregam apenas uma fração dos danos. O problema é o número cada vez maior de pessoas achando que são tão ou mais prejudiciais, o que pode estar impedindo milhões de fumantes a deixar o vício. Os serviços públicos de saúde deveria apoiar os usuários de cigarros eletrônicos na sua batalha para parar."

 

A Professora Ann McNeill, do King's College de Londres e autora independente da revisão, disse:

"Não há evidências de que os cigarros eletrônicos estão minando a queda das taxas de tabagismo na Inglaterra. Ao contrário, evidências consistentes mostram que os cigarros eletrônicos são mais uma ferramenta para parar de fumar e na minha opinião, os fumantes devem tentar usar, e os que já usam, devem parar de fumar completamente.

Cigarros eletrônicos poderiam ser um divisor de águas na saúde pública, especialmente na redução das enormes desigualdades de saúde causados pelo fumo."

 

Professor Peter Hajek, Queen Mary University de Londres e autor independente da avaliação disse:

"Minha leitura da evidência é que os fumantes que migram para o cigarro eletrônico afastam quase todos os riscos que fumar causa para a sua saúde.

Fumantes tem necessidades diferentes e gostaria de aconselhá-los a não desistir de cigarros eletrônicos, se eles não gostarem do primeiro que experimentarem. Talvez seja necessário experimentar produtos diferentes até encontrar o que melhor atende às suas necessidades."

 

Professora Linda Bauld, especialista do Cancer Research UK na prevenção do câncer, disse:

"Os temores de que os cigarros eletrônicos fariam com que tabagismo se tornasse normal novamente, ou até mesmo de que levariam as pessoas a começar a fumar tabaco não foram notados com base nas provas avaliadas por esta importante avaliação independente. De fato, a evidência aponta que os cigarros eletrônicos realmente ajudam as pessoas a desistir de fumar tabaco.

Serviços gratuitos de cessação de tabagismo ainda permanecem a maneira mais eficaz para as pessoas pararem, mas nós reconhecemos os benefícios potenciais dos cigarros eletrônicos como auxílio para um grande número de pessoas que querem se ver livre do tabagismo."

 

O Cancer Research UK está financiando mais pesquisas para lidar com as questões não respondidas em torno destes produtos, incluindo o impacto a longo prazo.

 

Lisa Surtees, diretora em exercício no Fresh Smoke Free North East, a primeira região onde todos os serviços de cessação de tabagismo foram prmovidos como amigáveis ao cigarro eletrônico, disse:

"Apesar de termos feito grandes progressos na redução do tabagismo, o tabaco ainda é o nosso maior assassino. Nossa região sempre manteve uma mente aberta para uso de cigarros eletrônicos, pois podemos notar os enormes benefícios potenciais para a saúde nesta mudança.

Todos os nossos serviços do NHS para a cessação de tabagismo agora acolhem ativamente qualquer um que queira usar este dispositivo como parte da sua tentativa de parar e aumentar suas chances de sucesso."

 

 

Link da matéria:
E-cigarettes around 95% less harmful than tobacco estimates landmark review

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.