defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

notícias&artigos 2011
são paulo tem aumento do número de fumantes

06/09/2011

 

Pelo visto, tratar varandas e toldos como ambientes fechados e proibir fumódromos nas empresas não está resolvendo o problema de tabagismo em São Paulo.

 

Para variar, a reportagem é bastante confusa... leiam as frases abaixo:

 

"Uma pesquisa feita pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo registrou um aumento no índice de pessoas consideradas fumantes "leves" e também dos fumantes que consomem entre um e dois maços por dia.

* (de 10,49% para 13,82%)

** (de 24,86% e passou para 29,19%)"

 

"Enquanto isso, o índice de pessoas que fumam ao menos dois maços de cigarro por dia caiu de 42,15% para 28,83%."

 

O que está por trás das linhas: apesar da lei, houve um aumento significativo de fumantes em São Paulo. No ano da implantação da lei, 18,8% da população de São Paulo fumava. Em 2010 esse número pulou para 19,6%. Perde apenas para Rio Branco e Porto Alegre.

 

Veja os relatórios da VIGITEL, publicados pelo Ministério da Saúde:

 

VIGITEL BRASIL 2009

VIGITEL BRASIL 2010

 

 


a matéria original

 

SP tem aumento no índice de fumantes "leves"

 

Não há níveis seguros para consumo do tabaco, diz especialista

Do R7 - 06/09/2011

 

Uma pesquisa feita pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo registrou um aumento no índice de pessoas consideradas fumantes “leves” e também dos fumantes que consomem entre um e dois maços por dia.

De acordo com o levantamento, realizado pelo Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e Outras Drogas), em 2009, o índice de pessoas que consomem entre um e dois maços por dia era de 24,86% e passou para 29,19% em 2010. Já o índice de pessoas que são fumantes "leves" passou de 10,49% em 2009 para 13,82% no ano passado.

Enquanto isso, o índice de pessoas que fumam ao menos dois maços de cigarro por dia caiu de 42,15% para 28,83%.

Para fazer o levantamento, os técnicos do Cratod usaram uma espécie de "bafômetro do cigarro", que mede a concentração de monóxido de carbono no organismo da pessoa. O teste foi aplicado em mil voluntários em áreas movimentadas da cidade de São Paulo.

Ivone Charran, coordenadora do programa de tabaco do Cratod, diz que fumar menos não previne contra os males do tabagismo, uma vez que não há níveis seguros para o consumo de cigarros.

– A Lei Antifumo paulista e as informações cada vez mais propagadas sobre os malefícios do cigarro contribuíram para que houvesse a diminuição dos fumantes pesados apontados pela pesquisa. Em compensação, houve aumento do número dos classificados como fumantes leves e fumantes, além de um crescimento do total de pessoas que declararam serem não fumantes.

 

endereço da página

SP tem aumento no índice de fumantes "leves"