defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

quero parar de fumar ou reduzir
champix, agressividade e suicídio

Médico britânico Alex Bobak, sobre as notícias de que a droga Champix pode provocar suicídio:

 

"Eu insisto para que as pessoas não se sintam desistimuladas a tomar esta droga.

Lembre-se, mais de 50% de fumantes de longa data morrerão prematuramente como resultado de alguma doença do tabagismo."

 

Bobak é um dos muitos médicos que conduzem experiências com pacientes para a Pfizer.

 

Pois é, amigos, é assim que alguns médicos pensam: "O cara já tá ferrado mesmo, o risco do suicídio não é nada, pelo menos ele para de fumar..."

 

A Vareniclina (Champix, Chantix) pode ter sido responsável por comportamentos suicidas, agressividade extrema e suicídio de fato em vários países do mundo. No entanto, continua sendo receitada pelo aparente índice de sucesso no tratamento do tabagismo.

 

Mais uma vez insistimos: não jogue todas as suas fichas nas terapias farmacológicas. Ao invés disto, invista pesadamente em fortalecer, através de conscientização (não necessariamente nos males do tabagismo, que você já conhece, mas na sua vontade de parar).

 

Sobre o Champix, vale a pena ler o que o Dr. Michael Siegel tem a dizer.

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.

 

do blog do Dr. Michael Siegel:


 

Dr. Michael Siegel apela para proibição de Champix

(O FDA, a Pfizer e grupos anti-tabagistas já prejudicaram demais a vida das pessoas)

 

Hoje estou apelando ao FDA para que proiba a venda de Champix e para que os grupos anti-tabagistas exijam esta ação do FDA.

 

Ficou claro para mim que a tarja preta é simplesmente ineficiente para proteger o público dos importantes e adversos efeitos colaterais do Champix.

 

A resposta do FDA para os mais de 100 relatos de suicídios, mais de 400 casos de violência e mais de 11.000 outros efeitos colaterais foi exigir a tarja preta na embalagem. O alerta da tarja é para que médicos monitorem seus pacientes quanto a efeitos psiquiátricos adversos como depressão, comportamento agressivo e tendências suicidas.

 

No entanto é evidente para mim que isto não é suficiente. Os efeitos graves e fatais do Champix podem ocorrer rapidamente e sem aviso. Muitos dos indivíduos que morreram como resultado do uso de Champix cometeram suicídio repentinamente, sem aviso, e apenas poucos dias após terem iniciado o tratamento. É óbvio que a tarja preta não foi suficiente. Com uma droga que tem tantos efeitos colaterais graves simultaneamente, é simplesmente impossível monitorar de maneira efetiva e evitar que estes efeitos venham a ser letais através de monitoramento médico. Os efeitos aparecem muito rapidamente e a prática médica não está apta a conduzir testes psicológicos diariamente durante as primeiras semanas seguintes ao início do tratamento.

 

Evidências publicadas em janeiro provam que o Chantix definitivamente não é uma droga segura. Um estudo publicado no PLoS One relatou que o Chantix é a droga mais criminosa por estar associada a comportamento suicida e de violência. De acordo com a pesquisa o uso de Champix está associado a mais de 400 casos de violência e mais de 11000 efeitos colaterais graves. O Champix está associado a 18 vezes mais casos de violência se consideramos ocorrências ao acaso.

 

O estudo fez controle para um possível aumento de tendência agressiva entre a população em tratamento com Champix e a relação entre o uso de vareniclina e violência ainda era enorme. Portanto, estes efeitos parecem ser um efeito colateral real do Champix.

 

O artigo conclui: "Atos de violência são um efeito colateral grave de drogas associadas a um grupo de medicamentos muito pequeno. A Vareniclina, que aumenta a dopamina, e antidepressivos com efeitos serotogênicos foram as drogas mais forte e consistentemente implicadas."

 

Esta pesquisa levou alguns a concluir que "a mensagem é clara que enquanto o Champix pode ser uma arma eficiente para cessadores crônicos (fumantes que tentam várias técnicas mágicas para parar e sempre fracassam...), o preço da agressividade do Champix e de outros efeitos colaterais do Champix podem ser potencialmente devastadores."

 

De acordo com um artigo publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association) em março de 2009, naquela época já haviam evidências de que o uso da droga vareniclina, usada para tratamento de tabagismo, poderia estar ligada a idéias e comportamentos suicidas em grande número de pacientes tratados (veja: Kuehn BM. Studies linking smoking-cessation drug with suicide risk spark concern. JAMA 2009;301(10):1007-1008).

 

De acordo com o artigo: "Uma nova análise feita pelo FDA soma às evidências de que a vareniclina pode estar associada ao aumento no risco de idéias e comportamento suicida mesmo em pacientes sem histórico psiquiátrico. Aos resultados, publicados em janeiro seguem os alertas da agência que a relação é provável e a exigência do uso da tarja preta, percebendo um possível risco... Uma análise dos efeitos colaterais adversos submetida ao FDA entre maio de 2006 (quando a vareniclina foi aprovada) e novembro de 2007 encontrou 166 casos de idéias suicidas e 37 casos de comportamento suicida, mais da metade resultando em óbito. Metade dos pacientes que relataram idéias ou comportamento suicida tinha histórico de problemas psiquiátricos, 26% não tinha histórico e 24% tinha histórico desconhecido."

 

Devido à existência de muitos outros tratamentos para o tabagismo com eficiência semelhante, acredito que a razão de custo benefício do Champix é alto para a sociedade - mesmo com a tarja preta - e a droga deve ser banida.

 

De acordo com um artigo em "Lawyers USA" (de direito) existem pelo menos 200 processos de famílias que alegam ter parentes que cometeram ou tentaram suicídio como resultado do Champix (vareniclina). Os processos foram requeridos por uma única empresa de advocacia, que investiga outros 1200 casos. Uma outra empresa investiga 175 casos semelhantes.

 

O advogado dos queixosos foi citado no artigo descrevendo os casos como "Tragicamente, quase sem inexplicação, essas pessoas cometeram suicídio, normalmente sem diagnóstico de histórico familiar ou individual de depressão, psicose ou qualquer tipo de condição psicológica."

 

De acordo com o artigo: "Em 1 de fevereiro de 2008, o FDA emitiu um alerta que 'sintomas neuropsiquiátricos graves ocorreram com pacientes tomando Champix.' Os sintomas incluiam 'mudanças de comportamento, agitação, estado de espírito depressivo, idéias suicidas, tentativas e cometimento de suicídios.' 'Parece cada vez mais provável que haja uma associação entre Champix e sintomas neuropsiquiátricos,' constatou o FDA... "

 

"Um estudo feito em maio de 2008 pelo Institute for Safe Medication Practices, um grupo de vigilantes de drogas da Filadélfia relatou que no qurto semestre de 2007 a vareniclina foi responsável por 988 ferimentos graves relatados ao FDA, mais do que qualquer outra droga... A Administração Federal de Aviação proibiu o uso de Champix por pilotos e controladores de vôo; a droga também foi proibida por motoristas comerciais."

 

No dia 1 de fevereiro de 2008, a Pfizer reforçou o alerta da tarja incluido avisos mais fortes sobre sintomas neuropsiquiátricos. Em maio de 2008, refez o alerta aconselhando os médicos a descontiunar o Champix imediatamente se os pacientes ficassem agitados, depressivos ou suicidas.

 

No entanto, descontinuar o Champix caso pacientes se tornem suicidas é ineficaz. Se os pacientes se tornarem suicidas e cometerem suicídio, será tarde demais para suspender a medicação. Nenhum consultório médico está equipado para conduzir o tipo de monitoramento psiquiátrico diário necessário para atender a recomendação da Pfizer para prevenir de forma eficiente estes graves efeitos colaterais.

 

O FDA não pode permitir que esse alerta da embalagem seja a única proteção para os pacientes, uma vez que ele é totalmente insuficiente. Chegou a hora de banir o Champix

 

 


 

O Dr. Siegel não conforma que o FDA gasta mais tempo tentado proibir os cigarros eletrônicos (os quais defende com fervor para tratamento de tabagismo) - que não causaram um único óbito ou efeito colateral adverso grave nos EUA - mas nada faz contra o Champix, que continua a matar pessoas.

 

O mesmo dos 5 grupos anti-tabagistas que apelaram para a proibição dos cigarros eletrônicos e nada fizeram contra o Champix.

 

Ele denuncia pesquisadores que recomendam o Champix como parte do programa nacional contra o tabagismo de agir assim porque recebem dinheiro da Pfizer e outras companhias.

 

* The Rest of th story calls for removal of Chantix

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.