defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

quero parar de fumar ou diminuir
tabagismo - folha: vícios modernos

Na falta de conteúdo adulto para o tema "Tabagismo", resolvemos publicar este trabalho realizado por um grupo de trainees da Folha de são Paulo, em 2006.

O trabalho trata da dependência como um todo.

 

9. Vícios modernos - Entrevista com Rodrigo Bressan

Entrevista - Rodrigo Bressan, psiquiatra, professor da pós-graduação do Departamento de Psiquiatria da Unifesp e membro do Laboratório de Cognição e Neuroimagem da Unifesp

FOLHA DE SÃO PAULO - 20/06/2004 - EQUIPE DE TRAINEES

 

Folha - Fale sobre o mecanismo da dependência? O que caracteriza o vício?

Rodrigo Bressan - O fundamental é que a pessoa não consiga inibir o impulso de querer a recompensa (a liberação de dopamina, no sistema de recompensa) o tempo inteiro. O "negócio" fica tão bom que a pessoa perde o controle órbito-frontal (região do cérebro responsável pelo controle dos impulsos). Isso é o "vício". Tolerância e abstinência são conseqüências desse processo. Antes de chegar a existir tolerância e síndrome de abstinência, há uma deficiência no controle. Esse é o ponto mais importante e o que caracteriza o vício.

O vício é a perda do controle sobre o impulso de querer a substância. Veja, querer todo mundo quer. O que acontece é que umas pessoas pesam os prós e contras e conseguem inibir o impulso, caso existam mais contras; outras não conseguem inibir. Eis o vício. E não conseguem por várias razões. Mas a questão mais importante é o controle do impulso. Esse é o aspecto geral da adição.

Não precisa ter tolerância e abstinência para ser dependente. Basta não conseguir controlar o impulso.

 

Folha - Por que umas drogas "viciam" mais do que outras?

Bressan - Acho que podemos dizer o seguinte. O potencial de adição das drogas está ligado à capacidade de gerar abstinência e tolerância. A droga precisa fazer a pessoa não controlar seus impulsos. Quanto mais uma droga gerar tolerância e abstinência, maior é a chance de uma pessoa não conseguir controlar seu impulso de querer mais droga. Algumas drogas também ativam o sistema de recompensa de forma mais forte do que outras. Daí uma maior ou menor dificuldade de controlar o impulso. E esta dificuldade está muito ligada aos aspectos sociais, ambientais, psicológicos, genéticos etc.

 

Folha - O que é a tolerância?

Rodrigo Bressan - A sensação obtida pelo corpo é igual ou menor com uma quantidade maior de droga. Essa é a tolerância. A tolerância pode ser dopaminérgica ou de outros neurotransmissores. Do ponto de vista da adição (vício), o fundamental é que o prazer diminui. Mas isso nem sempre ocorre na via dopaminérgica. Por exemplo, os opióides, a maconha e a cafeína agem em outros receptores. O efeito final é menos dopamina no cérebro, mas não necessariamente por adaptações no sistema dopaminérgico. Outros receptores também desenvolvem tolerância.

 

Folha - E a abstinência?

Bressan - O corpo se acostuma com a presença elevada de uma substância (por exemplo, uma droga) e passa a funcionar com esse nível elevado. A ausência da droga faz com que o corpo não consiga funcionar da mesma forma. O corpo sente falta.

É legal destacar que a dopamina está presente em outros setores, e não apenas nesse mecanismo de prazer. Na coordenação motora, por exemplo. As pessoas precisam de dopamina para ter uma coordenação normal. No entanto, quando o corpo se adapta à presença da droga, pode ser que o número de receptores dopaminérgicos tenha diminuído, ou que a sensibilidade desses receptores tenha diminuído. Assim, na ausência da droga, o corpo não tem a quantidade de dopamina suficiente para satisfazer o sistema adaptado. Daí vêm os sintomas, que se manifestam no corpo inteiro.

 

 

1. Círculo Vicioso

2. Entrevista com Acioly Lacerda

3. Mecanismo do Vício

4. Tempo do Vício

5. Psiquiatras defendem remédios

6. Dependência dá a ilusão de que a vida é completa

7. Contardo Calligaris: Somos apenas desejo-dependentes

8. Entrevista com Marcos Ferraz

9. Entrevista com Rodrigo Bressan

10. Entrevista com Durval Mazzei

11. Entrevista com Contardo Calligaris

12. Vale tudo para abandonar o vício

13. Acolhida explica sucesso dos anônimos

14. Substituir drogas pesadas por leves pode é alternativa

15. Médica defende mudança de hábito para tabagismo

16. De perto ninguém é normal

 

 

endereço da página:

Vícios Modernos - Entrevista com Rodrigo Bressan

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.