defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

quero parar de fumar ou reduzir
considere diminuir

Para qualquer pessoa, a idéia de "nunca mais" poder fazer algo é difícil de aceitar.

 

Antes que você seja definitivamente proibido de fumar por motivos de saúde, considere reduzir. Ou reduza antes como estratégia para parar.

 

Dicas de Mark Twain - romancista americano:

nunca fume 2 cigarros ao mesmo tempo

nunca fume quando estiver dormindo

 

Você já deve ter ouvido centenas de vezes que não adianta reduzir a quantidade de cigarros para ter uma melhor qualidade de vida.

 

O princípio de Paracelsus - a dose faz o veneno - parece valer para tudo (bebida, comida, exercícios) menos para o consumo de tabaco. No entanto, você que fuma percebe claramente a diferença que faz quando você diminui a sua dose: seja nas férias, seja quando está numa fase menos estressante de sua vida. O contrário também é verdadeiro.

 

Para os que convivem com o fumante a coisa funciona do mesmo jeito: quanto menos ele fumar, melhor.

 

A afirmação de que 60 cigarros diários fazem tanto mal quanto 10 talvez tenha surgido com o conceito do fumo passivo, cujo mote é "não existem níveis seguros para a exposição à fumaça ambiental de tabaco" (que anula qualquer tentativa de melhorar a qualidade do ar através de ventilação adequada e purificadores de ar).

 

Alguns estudos mostram que diminuir a quantidade de cigarros reduz o risco de câncer de pulmão. ("The effect of Smoking Reduction on Lung Cancer Risk" - 2005 - Journal of Amercian Medical Association). O estudo conclui que entre fumantes de 15 cigarros diários, diminuir 50% reduz significativamente os riscos de câncer de pulmão.

 

A redução também ajuda a parar de fumar e garante menores índices de recaídas. (Reduced Smoking and Cessation of Older Smokers -Yale University School of Medicine - 2003, com dados do HRS).

 

No começo, é necessário ter muita disciplina para passar, por exemplo, de 1 maço para 5 cigarros por dia. Mas isso se torna mais fácil após semanas ou meses. A química do organismo se aclimata e vai se ajustar a uma quantidade menor de nicotina (assim como nos habituamos a cigarros de baixos teores). Fumamos porque gostamos. Mas não gostamos de todos os cigarros que fumamos durante o dia. Quantas vezes você se pegou acendendo um cigarro e quando foi bater a cinzas no cinzeiro encontrou outro aceso? (veja que a 1a regra de Mark Twain não é de todo absurda...)

 

 

Siga estas dicas para reduzir:

 

  • Não fume nos seus locais preferidos - mude a sua rotina
  • Dificulte o acesso aos cigarros - mantenha seu maço longe
  • Evite fumar no carro ou dentro de casa
  • Mude constantemente de marca de cigarro.
  • Nunca fume "a seco". Sempre beba algo não alcoólico junto - prepare-se para fumar. Sua boca, garganta e vias respiratórias também se beneficiarão - estarão hidratadas e mais protegidas.
  • Fume conscientemente. Se o cigarro mata, pelo menos que seja um suicídio consciente.
  • Coma frutas cítricas quando sentir vontade de fumar (ou suco de laranja ou limonada)
  • Faça dos 5 cigarros uma experiência espiritual (lembra da sensação maravilhosa de fumar depois de sair de um avião? Faça todos seus cigarros terem este sabor).
  • Para fumar, mude de ambiente, leve seu cigarro e bebida - dê uma pausa no que está fazendo.
  • Não leve os cigarros sempre com você.
  • Se tiver que ir ao supermercado, ao posto de gasolina ou à farmácia, não coloque o maço na bolsa ou no bolso.
  • Se sair por um período maior, leve um ou dois cigarros, não o maço todo.
  • Tente esquematizar os cigarros do dia, tipo, um após o café da manhã, um após o almoço, um às 3 da tarde, um na janta e um mais tarde. Você vai ter consciência do quanto depende do seu cigarrinho... no começo, tudo o que você fizer vai girar em torno do horário de fumar.
  • Quando você conseguir reduzir e manter, verá que consegue até parar.

 

* Nicotina e tabagismo (PDF)

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.