defendemos o fumante, não o fumo: 
quer parar de fumar ou reduzir?
 

polêmica - novo caminho
vícios modernos

FOLHA DE SÃO PAULO - 20/06/2004

 

Este trabalho foi resultado do 37º Programa de Treinamento da Folha, curso intensivo de 13 semanas em que jovens estudantes e recém-formados aprendem na prática a trabalhar em jornal diário.

Coordenação: editor de Opinião Marcos Augusto Gonçalves

 

Embora não aborde o tabagismo, ele é muito esclarecedor para tentarmos compreende-lo.

 

Principalmente porque TODOS os artigos sobre tabagismo não escapam de 2 coisas, fatais para sua credibilidade:

 

1) Não separam o fumante do indivíduo exposto à fumaça de tabaco (o chamado "fumante passivo")

2) Seu conteúdo é recheado de jargões que nada acrescentam ao que já sabemos sobre o assunto.

 

Interessante notar também que, embora o tratamento indicado para o tabagismo seja a terapia cognitiva comportamental associada a antidepressivos, quem assume o debate são cardiologistas, pneumologistas, oncologistas e outros profissionais da área sem qualquer preparo profissional para lidar com estas questões. Você procuraria um cardiologista para se livrar da adição à cocaína? Eles não dizem que a nicotina é pior? Então...

 

O trabalho "Vícios Modernos" está na área do site destinada a quem quer parar. Não morde nem queima entrar ali e vale a pena checar o trabalho dos trainees.

 

Atenção: Os artigos do Eufumo não tem a intenção de fornecer recomendação médica, diagnóstico ou tratamento.

 

endereço da página:

De perto ninguém é normal